ANVISA proibe venda de termômetros de mercúrio

ANVISA proibe venda de termômetros de mercúrio

Entenda o porquê da lei e conheça os termômetros digitais que os substituem

“Ih! Está quente…”  As mãos experientes de avós e mães na testa de uma criança já acusam que a temperatura corporal aumentou, ou seja, ela está com febre.

Mas quando chegam ao consultório, a pergunta é inevitável:

Mediu a febre? E é aí que entra a importância de utilizar o termômetro, que traduz em detalhes, o que já foi detectado pelas mãos experientes.

Portanto, para a medida precisa da temperatura, é importante entender como funcionam os termômetros digitais e porque não utilizar os termômetros de mercúrio.

Para que serve o termômetro?

O termômetro é um aparelho utilizado para medir a temperatura, claro.

Existem diversos tipos de termômetros, utilizados em diferentes especialidades da indústria, nas empresas do ramo de alimentação, entre outros.

Os termômetros que medem a temperatura corporal são chamados de termômetros clínicos.

No Brasil, o Grau Celsius (ºC) é a unidade de medida utilizada para leitura da temperatura.

A faixa de leitura para a temperatura corporal varia de 35 à 42 ºC, com divisões de 0,1 ºC.

Quais são os tipos de termômetros clínicos?

O termômetro clínico é utilizado em casa ou nas instituições de saúde, como consultórios, Unidades Básicas de Saúde – UBS, hospitais e Instituições de Longa Permanência para Idosos – ILPI.

O Termômetro DIgital Flexível da Marca Omron
O Termômetro Digital Flexível (do tipo clínico digital)

Atualmente, os modelos indicados para medir a temperatura com segurança, são os termômetros digitais.

Os termômetros de mercúrio são também conhecidos como termômetros analógicos e foram amplamente utilizados no passado.

Porém não são mais recomendados, porque o mercúrio é considerado uma substância tóxica.

Entenda melhor:

Termômetro Clínico Analógico

Este é um modelo de termômetro de vidro.

Dentro dele, um tubo de vidro menor, armazena uma quantidade de fluido sensível ao calor,  o mercúrio.

Ele é a substância geralmente utilizada, por isso ficou também conhecido como termômetro de mercúrio.

Mas atenção!!!!

Este modelo não pode mais ser fabricado no Brasil e em mais 140 países, que assinaram a Convenção de Minamata.

A Convenção tem como principal objetivo “proteger a saúde humana e o meio ambiente dos efeitos adversos de emissões e liberações de mercúrio e seus compostos”.

Por isso, a diretoria da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, aprovou medidas para retirar do mercado, a partir de 1º de janeiro de 2019, materiais de saúde que utilizam o mercúrio em sua composição, entre estes, o termômetro de mercúrio.

Portanto, se você ainda tem um termômetro de mercúrio em casa, em caso de quebra do produto, precisa seguir as seguintes recomendações da ANVISA:


Você tem termômetro de mercúrio em casa?

Os termômetros digitais vêm substituindo os termômetros com mercúrio há alguns anos. Apenas dois produtos desse tipo ainda têm registro no Brasil.

No entanto, como é um produto sem prazo de validade, é possível que algumas pessoas ainda tenham este tipo de artigo em casa.

A quantidade de mercúrio presente em termômetros de uso caseiro não chega a ser comprometedora.

Mas em caso de acidentes é importante tomar as seguintes precauções:

  •      Não permita que crianças brinquem com as bolinhas de mercúrio;
  •      Utilize luvas de procedimentos e máscara descartável e recolha com cuidado os restos de vidro em toalha de papel e coloque em recipiente resistente à ruptura, para evitar ferimento e feche hermeticamente;
  •      Localize as “bolinhas” de mercúrio e junte-as com cuidado utilizando um papel cartão ou similar. Recolha as gotas de mercúrio com uma seringa sem agulha. As gotas menores podem ser recolhidas com uma fita adesiva;
  •      Transfira o mercúrio recolhido para o recipiente de plástico duro e resistente, feche hermeticamente e cole um rótulo indicando o que há no recipiente;
  •      Recipientes que acondicionem mercúrio líquido ou seus resíduos contaminados devem estar armazenados com certa quantidade de água (selo hídrico) que cubra esses resíduos, para minimizar a formação de vapores de mercúrio;
  •      Identifique o recipiente, escrevendo na parte externa “Resíduos tóxicos contendo mercúrio”;
  •      Não use aspirador, pois isso vai acelerar a evaporação do mercúrio, assim como contaminar outros resíduos contidos no aspirador;
  •      Coloque o recipiente em uma sacola fechada;
  •      Entre em contato com o serviço de limpeza urbana do seu município ou órgão ambiental (Estadual ou Municipal) para saber como proceder a entrega do material recolhido.

Termômetro Clínico Digital

Portanto, os termômetros digitais são os indicados para uso seguro tanto no ambiente doméstico como em instituições de saúde.

Os modelos mais simples de termômetro clínico digital possuem um circuito eletrônico alimentado por uma pequena bateria.

O sensor de temperatura fica na extremidade mais fina do aparelho.

Esta tecnologia é protegida por um estojo plástico com formato desenhado para facilitar a sua utilização e com um visor que permite a leitura aferida da temperatura corporal.

Após o usuário apertar o botão de início da medida, um cronômetro interno é ativado e, assim, um sinal sonoro avisa que a leitura da temperatura já foi realizada.

Geralmente esse procedimento leva em torno de 3 minutos.

É importante ressaltar que estes modelos de termômetros digitais são mais utilizados para medida de temperatura axilar. Um método amplamente divulgado no Brasil.

Contudo, é necessário atentar para a maneira correta de utilização:

A ponta do termômetro deve ser colocada no centro da axila e em contato direto com a pele, porém nunca com a roupa.

O braço do adulto ou criança que necessita da medida de temperatura, deverá ficar dobrado sobre o tórax,até que o alarme sonoro dispare indicando assim que a temperatura já foi aferida.

Se a criança ou o adulto não puder auxiliar, uma pessoa deverá segurar o seu braço para manter o termômetro no lugar e permitir a medida correta da temperatura corporal.

Os termômetros podem ser encontrados nos modelos: Termômetro Digital Rígido  e Termômetro Digital Flexível.

O Termômetro Digital Rígido

Termômetro Clínico Digital Infravermelho

Os termômetros digitais com tecnologia infravermelho possuem um sistema que, de acordo com a temperatura medida, altera a cor da tela.

Ela fica verde para uma temperatura normal e vermelho para uma condição de febre.

O sensor infravermelho capta a temperatura emitida pela pessoa e um sinal elétrico é levado para um chip programado para, dessa maneira, emitir o valor real da temperatura corporal na tela LCD.

O aparelho pode ser programado para leitura em Grau Celsius (ºC) ou Fahrenheit (ºF).

Convém relembrar que no Brasil, da mesma forma que na Europa, a referência para temperatura corporal é o Grau Celsius (ºC).

Uma vez que, nos Estados Unidos, a unidade de medida é em Fahrenheit (ºF).

Além disso, alguns modelos armazenam um histórico de medidas realizadas.

Seu design é mais robusto e anatômico e são alimentados principalmente por baterias de longa duração que podem ser substituídas.   

Alguns possuem a funcionalidade de leitura da temperatura do ouvido ou da testa.

Porém, o mais comum e fácil de realizar é a leitura da temperatura da testa, que é instantânea.

Para utilizar, basta pressionar o botão iniciar e mirar o sensor infravermelho com uma distância aproximada de 3 cm da testa da pessoa.

Muitos conhecem este aparelho como Termômetro Digital de Testa.

Apesar do maior custo dos termômetros digitais com tecnologia infravermelho, estes têm maior durabilidade.

Além disso, oferecem a possibilidade de leitura da temperatura do ambiente e de diferentes superfícies.

Como a temperatura do leite na mamadeira do bebê, por exemplo.

Os termômetros de testa são confiáveis?

A tecnologia do chamado termômetro digital infravermelho de testa pode trazer vantagens ao usuário.

É possível, por exemplo, medir a temperatura sem necessariamente, tocar a pele da pessoa.

Este dado é importante como naquele momento em que a criança está dormindo e os pais estão em dúvida se “a febre baixou”.

Neste exemplo, é possível aproximar o aparelho e fazer a medida, sem incomodar a criança.

Outra vantagem é que a medida é feita instantaneamente, em tempo aproximado de 1 a 2 segundos.

Embora ser um produto de tecnologia superior, é necessário que o usuário leia e siga atentamente as instruções de uso e conservação.

Recomenda-se que o aparelho seja testado algumas vezes. Justamente para que haja segurança no modo de uso, quando, realmente, for necessário medir a temperatura corporal.

É importante salientar, que este aparelho necessita de registro na ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Verifique sempre esta informação. 

Como fazer a limpeza dos termômetros digitais?

Lembre-se:

A limpeza e desinfecção dos termômetros digitais é mais um tema que necessita de atenção às instruções do fabricante.

De uma maneira geral, recomenda-se o uso de gaze umedecida em álcool isopropílico a 70%.

Nunca mergulhe o termômetro em água ou qualquer outro líquido. Posto que este procedimento pode danificar o aparelho.