O imperador do Japão continua publicando artigos científicos aos 84 anos

O imperador do Japão continua publicando artigos científicos aos 84 anos

No dia 30 de abril de 2019, Akihito – sua majestade o imperador japonês – vai abdicar do trono em favor de seu filho, Naruhito.

E provavelmente vai usar de sua aposentadoria para continuar o que faz desde 1989:

Continuar publicando artigos científicos.

Sua Majestade o imperador (Imperial Household Agency)

Na prática, o imperador tem um papel ilustrativo. Desde a constituição japonesa de 1947, pós segunda guerra, os monarcas são, portanto, apenas cerimoniais. 

Por isso Akihito, que aliás sempre é chamado de sua majestade o imperador, deve dar seguimento ao seu hobby: pesquisar e publicar artigos científicos sobre gobis.

Os gobis são um tipo de peixe, encontrado em águas salobras em regiões do Pacífico. 

Mas não apenas isso!

Em 2009, por exemplo, ele publicou um artigo na revista Nature – uma das revistas mais conceituadas do mundo científico -, intitulado “Linnaeus e a Taxonomia no Japão”

Neste artigo ele fala sobre a importância de Linnaeus, um botânico sueco, considerado o pai da taxinomia moderna do país asiático.

A taxinomia é uma disciplina biológica que define os grupos de organismos biológicos com base em características comuns.

Gobis (da família Gobiidae)


Pterogobius elapoides (Wikipedia)

Em 2016, no entanto, ele publicou como primeiro autor um estudo sobre os seu assunto favorito: os Gobis.

Mais especificamente os Pterogobius elapoides e os Pterogobius zonoleucus.

Não entendemos muito bem disso – a nossa paixão é qualidade de vida e envelhecimento ativo -, ou mesmo o porquê da paixão do imperador.

Mas as fotos estão acima e abaixo, caso você seja um biólogo marinho ou entusiasta de peixes. 🙂


Pterogobius zonoleucus (Wikipedia)

Akihito, o pesquisador

Os trabalhos cientifícos do imperador japonês já renderam a ele diversos prêmios e títulos de membro honorário de sociedades importantes como: 

E agora, aos 84 anos, ainda continua suas pesquisas e publicando artigos científicos. 

Isso nos lembra que não há um limite de idade para você exercer a sua paixão.

Mesmo que você não seja um imperador japonês.